Muito Prazer

Educação Experiencial

A teoria da Aprendizagem Experiencial consiste em uma abordagem sobre o desenvolvimento do adulto, em especial, do profissional.

Segundo seu fundador, David Kolb, a profissionalidade é um percurso permanente de aprendizagem,   desde que o indivíduo possa se apropriar de suas experiências de atuação profissional.

 

A perspectiva integrativa da aprendizagem experiencial se aproxima das tendências contemporâneas que destacam o papel do pensamento reflexivo para melhoria da qualificação profissional, contudo, David Kolb segue um caminho próprio, original, com grande potencial de aplicação para estudos e propostas formativas no campo do desenvolvimento profissional.

 

A melhoria da qualificação profissional tornou-se, desde os anos 90, vinculado à noção de desenvolvimento profissional, numa vertente de pensamento contrária às visões de capacitação e aperfeiçoamento, largamente difundidas nas décadas antecedentes.

 

VAMOS ENTENDER MELHOR ...

Esse ponto é bem interessante e explica o por que adotamos a Teoria de Kolb como base teórica.

 

Quando a empresa conhece seu profissional, seu potencial; irá DESENVOLVÊ–LO onde ele reúne as melhores condições, DIFERENTEMENTE de capacitar no sentido de moldar, onde o esforço e custo são muito maiores, pois, não leva em consideração a predisposição, pois não tratou de conhecê-la.

 

 A aprendizagem experiencial coloca a ênfase na interação entre o sujeito e a ação.

 

Valoriza ao mesmo tempo: o contexto, a reflexão e o lado funcional da aprendizagem, adquirindo uma dimensão pragmática que é essencial porque promove a resolução de problemas pelos envolvidos.