Muito Prazer

Construção e gestão da carreira. Trilhas e acessos

GESTÃO DE CARREIRA

A gestão de carreira é uma ferramenta fundamental para uma vida profissional.

Com as mudanças ocorridas na Gestão da Carreira, principalmente, nas duas últimas décadas, a mesma passou a ser de responsabilidade compartilhada entre a empresa e a profissional, e passou a ter características como: critérios de ascensão profissional desvinculados da estrutura organizacional e dos títulos de cargos, transparência dos critérios de ascensão, estímulo e apoio concreto à participação das pessoas na construção dos critérios de ascensão, estruturas de carreiras predominantemente paralelas, visando aperfeiçoar as contribuições individuais.

Em um cenário ideal, a empresa que oferece uma boa gestão de carreira não só retém bons profissionais como pode contar com os mesmos para a melhoria continua.

 

A gestão bem conduzida alinha os objetivos dos profissionais e empresas, que trilham juntos o caminho do desenvolvimento e do diferencial competitivo.

 

O papel das organizações

A implementação dos mecanismos de Gestão de Carreira cumpre um papel muito importante, que é o de dar aos profissionais a possibilidade de demonstrar seu potencial, bem como, é verdade, o de identificar esse potencial que por vezes não está revelado até mesmo para a própria pessoa.

Não possuir um programa estruturado de Gestão de Carreira leva as empresas a perdas imensuráveis.

Onde estão essas perdas

No retrabalho, nas horas extras, no absenteísmo, na falta de interesse em buscar melhoria de sua rotina laboral, na não colaboração com inovações por falta de interesse ou simplesmente por se deixar levar pela repetição não liberando sua criatividade.

As perdas, obviamente, também se dão com a saída de um talento da empresa.

 

O papel do profissional

Cabe ao profissional planejar os passos a serem seguidos para o alcance das metas de carreira. E isso nem sempre é simples ou claro, assim, para estabelecer um plano de ação para gerir a própria carreira é importante ter claro para si próprio sobre suas habilidades, estilo pessoal, interesses, valores, ideais e é necessário  adotar alguns comportamentos:

1º - aprimorar o autoconhecimento

2º - conhecer as próprias expectativas profissionais.

3º - Conscientizar-se das atribuições profissionais atuais e alinhar com os novos paradigmas exigidos.

4º - Desenhar uma estratégia para o alcance das metas.

O momento em que o indivíduo percebe que a sua carreira depende dele mesmo varia de pessoa para pessoa e neste processo medos e inseguranças, surgem junto aos pontos fortes que fortalecemos, justamente para dar condição do profissional partir para a reformulação de seus aspectos pessoais e profissionais menos desenvolvidos.

O sucesso dependerá da capacidade de cada pessoa utilizar suas ferramentas internas no sentido de atingir seus objetivos.

 

 O papel do programa

Ainda que a tarefa de colocar em prática a gestão de carreira esteja sob a responsabilidade do profissional a empresa precisa viabilizar essa execução.

Muitas vezes os colaboradores não têm clareza sobre o que fazer para se desenvolver. Fazer a leitura do cenário corporativo e decidir sobre as ações adequadas sem orientação torna-se muitas vezes um processo de ensaio e erro que leva ao desestimulo e suas conseqüências.

Quando essa conexão falha ou não existe, ocorrerão ações improdutivas de ambas as partes, empregado e empregador.